segunda-feira, 29 de maio de 2017

BORDEL BRASIL




GRANA FOR US
Quando a carne começou a feder, a JBS "generosamente" propôs melhorar o valor para fechar acordo de leniência e sapecou R$ 4 bilhões na mesa. Agora, a aposta subiu e o MPF já recusou R$ 8 bi. Quer R$ 10,99 bi. Além disso, o grupo deverá destinar ao Tesouro mais 50% de tudo que pagar nos acordos que firmar fora do Brasil.




NAU DOS INSENSATOS
Defensor incondicional de Michel Temer, que já chega avaliando mudanças na direção da PF (sonho dourado de quem teme a Lava Jato), o novo ministro da Justiça Torquato Jardim viajou na maionese em entrevista à revista IstoÉ, quando perguntado sobre os próximos dias:

"Muito vento. Vai precisar de um bom timoneiro e de um navio muito forte, mas nada que não possa chegar do outro lado. Os portugueses chegaram ao Brasil em três casquinhas de nozes."


AGORA VAI
Agnaldo Timóteo deverá se filiar ao PT.



Help!


CALENDAS
Michel Temer quase entregou o homem da mala Rodrigo Rocha Loures aos carrascos. Bastou demitir o ministro da Justiça Osmar Serraglio, que voltaria à Câmara e mandaria Loures diretamente para a planície. Sem foro, sem salário e a caminho da vara de Sérgio Moro.


CALADAS
Mas os fins de semana em Brasília, em tempos de crise, viram dias úteis para as trapaças da sorte. Eis que Serraglio, que não servia para Justiça por suspeitas na operação Carne Fraca, serve como uma luva exatamente para o Ministério da Transparência. Assim, de forma cristalina, Temer deu a Loures um aviso para não brincar com a língua.


CALADOS
Com esse movimento, o governo mostrou ao homem da mala que ele pode ficar ancorado a Temer no Supremo ou ir dar uma passeada perigosíssima (mesmo para paranaenses como ele) em Curitiba. Todos andam esquecidos que, em casos semelhantes, o STF já desmembrou processos e mandou manés para manés e ficou apenas com seus zés de sempre.

domingo, 28 de maio de 2017

ALMA NOTURNA

Heraldo Palmeira






Publicado originalmente
no blog Conversas do Mano

https://conversasdomano.blogspot.com.br


Eu era muito pequeno na minha cidadezinha quando meu pai entrou em casa e colocou um rádio Franklin (fabricado pela Philips argentina) sobre a cristaleira da sala. Lugar nobre da casa.

Madeira amarelada e baquelita, cheio de faixas de ondas, valvulado. Porta do mundo. E eu me postei tantas tardes inteiras diante dele para ouvir Beatles e Roberto Carlos. E informações de lugares que eu imaginava muito distantes, que faziam rodar o globo da minha pequena geografia.

Foi ali que eu iniciei a descoberta do maior segredo, algo que moveu minha vida. Perguntas, perguntas e mais perguntas... Como a música era feita? Como se materializava dentro daquela caixa eletrificada? Havia pessoas em miniatura ali dentro? A minha curiosidade infantil permanecia insatisfeita e aguçada.

A banda de música da minha cidadezinha me deixou ainda mais deslumbrado ao dar a resposta: pessoas tocavam instrumentos e aqueles sons se juntavam para formar a música. Eu só queria entender como as pessoas iam parar dentro dos discos, dentro dos rádios – ainda não sabia o que era tevê. Devoto precoce da música, me tornei discípulo da banda, subindo e descendo as ladeiras atrás dela. Apurando o ouvido para o amanhã.

E vieram os circos. Quem pôde resistir ao “Hoje tem espetáculo? Tem sim, senhor!”. E pude pisar pela primeira vez a ribalta, sentir seu magnetismo mesmo quando era dia, não tinha espetáculo. Ali havia magia, não restava a menor dúvida. Bastava chegar a noite e um novo mundo surgia!

Havia uma praça com coreto na minha cidadezinha, como havia em qualquer cidadezinha como a minha. Era ali que eu via fascinado a banda de música em momentos de gala. Era ali que eu, pequenininho, leitor precoce, dava meus primeiros avisos ao microfone da difusora municipal instalada no térreo do coreto – e lia os oferecimentos musicais dos apaixonados de então.

Ronnie Von enfeitou o país com A praça. Havia a minha praça e eu acreditava que A praça era da minha praça. Era 1967, ano em que deixei minha pequena cidade para morar na capital. A primeira ruptura. Ali eu já estava completamente apaixonado pela arte da música.

E fui embora ouvindo A praça para morrer de saudade da minha praça. E fui embora para perder meu primeiro amor, a minha infância, de quem morro de saudade sem cura mesmo quando volto à minha velha praça e não me acho mais.

A mesma praça, o mesmo banco
As mesmas flores, o mesmo jardim
Tudo é igual, mas estou triste
Porque não tenho você perto de mim

E fui embora querendo chegar perto dos músicos onde quer que fosse. E dos artistas todos. E da arte, porque percebi que ela seria meu caminho para a infância eterna. E ganhei meu primeiro radinho de pilha Crown, que me ensinou a dormir ouvindo o mundo. E depois veio o MotoRadio Dunga de duas faixas, o Philco Transglobe de tantas outras...

E admirei pintores e escultores. E fotógrafos. E descobri o cinema e a tevê. E me completei com imagens. E com filmes e programas e novelas. Porque vinham de outros mundos e eu quis ser mundano daqueles mundos. Um aluno.

E me tornei amante das madrugadas e conheci nelas a companhia inseparável das letras impressas sobre papel. E me apaixonei pela Bic azul, macia, parceira de todas as sinas, rabiscando minhas dores e louvores. Enfeitando meus amores. E rodava a vitrola... zilhões de voltas, milhões de músicas, milhares de discos. E corria a tinta azul marcando a alta alvura do papel.

Agora eram música e letra, dois pedaços da mesma arte de todas as artes. E entoei cantorias. E aprendi a viver sozinho sem nunca estar sozinho. A nunca ter medo porque sempre haverá algo por descobrir. Que reanimará, dará novo sentido. Uma espécie de cura. Existirá!

Existirá
Em todo porto tremulará
A velha bandeira da vida
Acenderá
Todo farol iluminará
Uma ponta de esperança
E se virá
Será quando menos se esperar
Da onde ninguém imagina
Demolirá
Toda certeza vã
Não sobrará
Pedra sobre pedra
Existirá

E fui embora da minha capital para o mundo. E entoei novas cantorias, maiores. E veio minha grande arte, uma menina que cabia no antebraço, agora mulher. O porto onde já tremula a (minha) velha bandeira da vida. Para um futuro que existirá num instante, quando for o óbvio.

Eu canto, porque o instante existe
E a minha vida está completa
Não sou alegre nem sou triste
Atravesso noites e dias no vento
Se desmorono ou se edifico
Se permaneço ou me desfaço
Não sei se fico ou passo
Eu sei que eu canto e a canção é tudo
Tem sangue eterno a asa ritmada
E um dia eu sei que estarei mudo, mais nada

E andei aprendendo pelo mundo. Apurei a descoberta do maior segredo que moveu minha vida. Respostas, respostas, respostas... Aprendi como a música era feita, como se materializava dentro das caixas eletrificadas. Como as pessoas iam parar dentro dos discos, dos rádios, das tevês, dos arquivos digitais. A minha curiosidade infantil estava satisfeita. E
aguçada para novas perguntas.

Dei um jeito de fazer discos em grandes estúdios. Dei um jeito de fazer documentários com a banda de música da minha infância e com a festa da padroeira da minha cidadezinha. Fui para o coreto com a banda de novo. Gravamos pelas ruas, pelas histórias das pessoas. A minha gente e eu nos divertimos contando um pedacinho da nossa história simples por inteiro.

E descobri outras artes, outros negócios e a maneira de juntar tudo com o amparo de palco, som, luz, câmera, amigos e ação. Dei meu jeito de enfeitar o mundo corporativo onde vivo com a brisa da arte com quem casei para sempre.

Já não sofro, já não temo. Já não espero, apenas sou e vou. Nas horas vagas sigo sendo a mesma criatura da noite que perdia o sono quando o motor da luz desligava. Que fingia dormir quando os adultos, para anunciar a solenidade da escuridão, iam apagar velas e lamparinas que tremeluziam pela casa. Que sentia os cheiros da parafina e do querosene espalhados no ar. Que levantava quase flutuando quando todos dormiam, para olhar o céu de estrelas e conversar com Deus. Que aprendeu a não ter sono de manhã e nem em hora nenhuma do dia, porque a vida corre ligeira e é bom não perder quase nada. Que aguarda o silêncio da noite para ouvir música, ler, escrever. Para viver. E dormir sempre quando é madrugada, essa eterna namorada.

As criaturas da noite
Num voo calmo e pequeno
Procuram luz aonde secar
Peso de tanto sereno
Os habitantes da noite
Passam na minha varanda
São viajantes querendo chegar
Antes dos raios de sol
Eu te espero chegar
Vendo os bichos sozinhos na noite
Distração de quem quer esquecer
O seu próprio destino.
Sou viajante querendo chegar
Antes dos raios de sol

Enquanto for, quero ter sido apenas. Mais nada. E terá bastado porque amei a arte, como amo e amarei. Desde muito jovem não passou um dia sequer que não tenha ouvido músicas, folheado leituras e rabiscado escritas. Os três. Como um sacerdócio. Na tribulação ou na serenidade.

Carrego as marcas do sereno mas não reclamo do sol que amanhece outro pedaço do dia que terei de viver. Está no Eclesiastes: “O que foi, isso é o que há de ser; e o que se fez, isso se tornará a fazer; de modo que nada há novo debaixo do sol”.

Sou viajante que não teme as estradas, porque aprendi a respeitar as curvas incertas e as retas com neblina. Sou viajante querendo chegar apenas no tempo certo. Aceito a sina. Ainda é cedo pra ficar tarde demais.

(*) Dedicado a uma das professorinhas que me ensinou o bê-á-bá, a que me deu a primeira Bic Cristal azul de presente – que virou parceira de vida inteira, apesar da Parker 51, da Montblanc que vivem delicadamente esquecidas em algum lugar.

(**) Trechos de A Praça (Carlos Imperial) / A cura (Lulu Santos) / Motivo (Raimundo Fagner–Cecília Meireles) / Criaturas da Noite (Flávio Venturini-Luiz Carlos Sá).


Heraldo Palmeira é empresário, produtor cultural, aluno do mundo.

sexta-feira, 26 de maio de 2017

BORDEL BRASIL



POESIA
Entreouvido num almoço de analistas políticos:
"O brasileiro é uma máquina de tomar na bunda!".


ARTILHARIA
Quanto mais poderosa fica a Lava Jato na capacidade de jogar a rede da Justiça contra todos os até aqui inalcançáveis, mais a reação a ela fica feroz. Agora, as negociações em Brasília correm para substituir Michel Temer "por alguém de dentro", como dizem os políticos, e para perdoar o presidente da República. Com isso, abre-se a porteira para se inventar jurisprudência capaz de livrar a cara de todo mundo. Neste momento, em troca de se livrar de tudo, Lula da Silva topa até abrir mão da candidatura presidencial em 2018.


CURSO RUIM
Gilmar Mendes anuncia que poderá mudar de posição (e voto) na questão do regime fechado de prisão a partir das decisões de segunda instância. Com isso, voltaremos ao modelo que beneficiou o ilustre Paulo Maluf, que apresenta recursos (e fica em liberdade) desde que minha avó era moçoila.


Freirinhas no pau de selfie!


TRISTES TRÓPICOS
Como todo casuísmo no Brasil é pouco, o STF começou a estudar alguma forma de conceder indulto a Michel Temer. Assim, as negociações em curso, que a sociedade não sabe quais são, correriam mais rápido. Além de se tentar aplicar em caráter individual a um simples investigado (ainda não sentenciado), o movimento mudará inclusive o que diz o mestre Aurélio sobre o significado de "indulto":

Perdão, graça, desculpa.

Ato de clemência do poder público (no Brasil, o executivo), de caráter geral e impessoal, concedendo perdão, diminuindo ou comutando a pena de um grupo de condenados por crimes comuns e contravenções; graça coletiva.




CAMAROTE FISCAL
O jornal El País informa que a Receita Federal tem uma lista com 6.052 nomes de contribuintes VIPs, que só podem ser investigados com autorização de algum chefe da autarquia. Sim, muitos daqueles nomes que movimentaram fortunas nos escândalos de corrupção estão nessa sombra.


HAJA LAMA 1
Ricardo Saud, ex-executivo e delator da JBS, informou que procurou senadores para apoiar a candidatura de Edson Fachin ao Supremo. A intenção dessa revelação seria desmoralizar o agora relator da Lava Jato, onde a suposta apoiadora é uma das grandes envolvidas. Também já há suspeitas de que essa campanha contra Fachin teria partido da Casa Civil. A cada dia que passa, a situação institucional brasileira vai ficando mais grave. Exatamente porque caíram na rede peixes graúdos de todas as colorações políticas. Por isso, a sociedade precisa manter o olho bem aberto sobre os próximos movimentos dos tribunais superiores.


HAJA LAMA 2
Joesley Friboi jogou o Ibope no ventilador das propinas. E disse, em sua delação, que pelo menos sete industriais e banqueiros estão com a língua coçando para aumentar a carga do espalha-bosta.



Churrascaria de Curitiba sem JBS

quinta-feira, 25 de maio de 2017

BORDEL BRASIL

JUSTIÇA INCOMUM
Todo criminoso político vive se lamuriando com a tal "falta de imparcialidade" de Sérgio Moro. Agora, surgiu a notícia que Michel Temer, além de querer adiar seu julgamento no TSE, já obteve a garantia de que, sem mandato, seu processo não será encaminhado para Curitiba. Pelo menos, é o que diz o jornal Valor Econômico:

"O inquérito a que ele responde no STF deve ser redistribuído em primeira instância na Justiça Federal de Brasília."



PERGUNTINHAS BÁSICAS
- Um réu tem direito de adiar o próprio julgamento?
- Quem garantiu que o processo não vai para Curitiba?
- Isso é imparcial?
- Pode isso, Arnaldo?


MODELO RUIM
O país é refém do péssimo modelo político montado ao longo do tempo. Tanto é verdade que, no meio desse lamaçal, o grande empresariado sinalizou a preferência por Tasso Jereissati e Rodrigo Maia para um eventual mandato de presidente-tampão. Qual é a lógica? Nomes de fora da política teriam dificuldades no Congresso.



Sexo selvagem ou sexo na natureza? 


ALVO
O serviço reservado da PM do Distrito Federal tinha informação de que os baderneiros de ontem pretendiam invadir o Planalto e o Congresso. Diante do que vimos, talvez tivesse sido melhor mesmo que esses dois endereços de podridão caíssem nas mãos dos "manifestantes". Certamente, essa desmoralização exigiria uma tomada de posição do meio político para acabar com esse espetáculo deprimente que estamos vivendo há anos.


DIFUSORA
Com a palavra, o velho FHC, o mesmo que anda aparecendo em listas para virar presidente-tampão:

“Hoje, os dois lados da crise são a população enojada e descrente e um sistema político-eleitoral que se exauriu na corrupção, na leniência dos poderosos e na anuência de setores produtivos. Difícil! Ainda bem que minha idade me permite ver de longe, sem entrar no redemoinho”.
“Tenho reafirmado que caberá à Justiça separar o joio do trigo. E que a Lava Jato tem sido fundamental para passar o país a limpo. Nunca endossei indultos”.

ESCOLIOSE
Cansado de carregar as pesadas malas de dinheiro - e ainda mais algumas que falta grana -, Rodrigo Rocha Loures começa a flertar com o MPF para fazer uma delaçãozinha básica.


FILOSOFIA
Pindorama está pagando o preço de ter escolhido viver sob a genial filosofia de Tim Maia: "Tudo é tudo e nada é nada!". Ou seja, tudo é casuísmo puro e simples. Ao problema e ao interesse de agora, uma solução de agora. Que não necessariamente será a mesma para o mesmo problema amanhã. Como não foi ontem.


DIA TRISTE
O país já não se surpreende, apenas lamenta, sofre. As cenas de vandalismo vistas em Brasília servem somente para mostrar a que ponto chegamos. O abandono é intenso, o vazio quase incurável. O poder político está nas mãos de anões morais e nenhuma instituição se mostra preparada para orientar o fluxo, organizar o Carnaval. Estamos numa ópera-bufa, o cinismo ocupa o palco.


CHORORÔ
Alguém aí ainda aguenta essa ladainha com o fato de o jornalista Reinaldo Azevedo ter perdido dois dos quatro empregos que se gabava de ter?


ENROSCO
O acordo de leniência da JBS com o MPF não está tão fácil como se andou dizendo por aí. Aquela ideia de que a empresa deu um golpe de mestre e seus donos teriam vida boa nos Estados Unidos pode não ser bem assim. E se as coisas não andarem bem aqui, podem se complicar com o Departamento de Justiça americano. Além disso, caminha no Senado um pedido de CPI da JBS, que poderá embolar ainda mais o meio-campo. Inclusive com a convocação dos irmãos Friboi.

quarta-feira, 24 de maio de 2017

BORDEL BRASIL

REPRESENTAÇÃO
O Brasil está à beira do abismo exatamente porque tem um Congresso Nacional formado por gente sem qualquer estatura política. Faltam hoje os Ulysses, Tancredo, Teotônio, Petrônio, Brossard, Thales, Simon, Collares, Montoro, Covas, Richa...


PANTOMIMA
É duro olhar para fantasias como Eunícios, Rodrigos, Renans, Jucás e centenas de outros nomes desprezíveis.


INCÊNDIO
Brasília está em chamas, sem bombeiros para apagar o fogo político. Baderna e vandalismo dando o tom da "manifestação" das esquerdas, como sempre.





MANDINGA
Agnelo Queiroz é tão supersticioso que, ao ser preso, levou Arruda junto.


PRISÃO DE VENTRE 1
No melhor estilo aperta que peida, a JBS, depois de entender melhor a confusão em que se meteu, praticamente triplicou sua oferta para um acordo de leniência. Agora, se propõe pagar R$ 4 bilhões.


PRISÃO DE VENTRE 2
Pode cair do boi quem pensar que a JBS e seus controladores terão vida fácil nos Estados Unidos. A empresa já está tentando negociar um acordo de leniência no temido Departamento de Justiça, que poderá alcançar o recorde histórico de multas baseadas na Lei de Práticas Corruptas no Exterior (FCPA, em inglês).


DUPLO SENTIDO
Entreouvido num banheiro do senado:
"A carreira do Aécio acabou!".


VASSOURA DE BRUXA
Bruxa se estrepa e aguarda seguradora


CONSELHO DE AMIGA
Aécio Neves fala tanto palavrão, que Dercy Gonçalves saiu do túmulo aos gritos e deu-lhe uma invertida:
"Puta que pariu, vai lavar essa boca, caralho!".


CONVENTO
Tem petista nas redes sociais se dizendo "chocado" com o linguajar de bordel de Aécio Neves. Deve achar que Lula da Silva fala esperanto, porra!


CAGADO E CUSPIDO
A autoridade entendeu direitinho o que significa clonagem.
A cara de um é o focinho do outro

ATÉ QUANDO?

Goya Bada
Até quando?
Esta é a pergunta, com inúmeros desdobramentos, que o país precisa se fazer. E tem de fazer estando livre das paixões políticas, dessa postura de torcida (um lado ou outro) que os políticos eficientemente nos colocaram, exatamente para continuarem transformando o Brasil nessa latrina, nesse bordel a céu aberto sem ser incomodados.

Depois de jogar merda no ventilador e deixar o país de ponta-cabeça, eis que o senhor Joesley Batista declara à revista Época que "considera injustas as críticas de que delatou o presidente Michel Temer, desestabilizou o Brasil e partiu para os Estados Unidos com o objetivo de viver numa boa".

Por isso, estaria considerando voltar ao Brasil, mas anda temeroso de ser morto. Parece claro que falta muita coisa por ser dita. A começar pelos sagrados nomes de quem poderia encomendar o seu enterro.

Seria bom mesmo voltar, para explicar melhor essa patuscada que ninguém consegue entender direito. Chegamos ao ponto de um perito virar protagonista por alguns segundos e até culpar o gravador. Bastou ser contratado como assistente da defesa de Temer para mudar de opinião em relação ao mesmo tema.

O engraçado é que, somente agora, o governo decide colocar todo o seu arsenal, a partir do Ministério da Fazenda e envolvendo Receita Federal, Carf e CVM, além do Banco Central, para revirar os negócios dos Batista. Difícil não achar que as instituições foram transformadas em simples instrumentos de retaliação, pois deveriam estar fiscalizando tudo e todos desde sempre.

Michel Temer teria voltado a considerar a renúncia, desde que não seja preso. Segundo O Globo, essa operação limpa barra se daria inclusive considerando indulto presidencial - dado pelo sucessor-tampão - e asilo político em algum paraíso do planeta.

Essa barbaridade estaria sendo articulada por gente como FHC, Zé Sarney, Renan Calheiros e Romero Jucá, que dispensam apresentações. E Lula da Silva, que desembarcou em Brasília para defender o nome de Nelson Jobim, sócio de André Esteves (enrolado junto com seu BTG na Lava Jato), para a vaga de presidente da República tampão.

Outros nomes cogitados seriam Henrique Meirelles, Gilmar Mendes, Tasso Jereissati, Joaquim Barbosa e Rodrigo Maia. Isso é um verdadeiro Tampax!

Correndo por fora, a tentativa de golpe de inventar eleições diretas a esta altura do campeonato, quando temos um texto constitucional que é claríssimo em relação aos procedimentos.

Uma eleição direta agora não busca os interesses nacionais, mas apenas garantir tentativa de foro privilegiado para alguém da estirpe de um Lula - que ainda não entendeu que está tão morto politicamente quanto Temer, Aécio, Serra, Alckmin..., que não parecem em condições eleitorais para muita coisa mais.

Até quando vamos assistir prontuários ambulantes dando as cartas, resolvendo por nós o destino do país?

Até quado vamos suportar casos como o do estádio de Brasília, elefante branco que custou a bagatela de R$ 1.575.000.000,00? Não se assuste com tantos zeros, estamos na casa do bilhão.

O mais caro da Copa, gerou R$ 900 milhões de superfaturamento e foi realizada sem sequer um estudo de viabilidade econômica. Tanto que vive às moscas e terminou levando para a cadeia figurinhas carimbadas do submundo político do Distrito Federal como Zé Roberto Arruda, Agnelo Queiroz, Tadeu Filippelli...

Até quando vamos aturar ministros do TCU totalmente desacreditados - eles e o Tribunal - passeando por Rússia e Áustria, sob a desculpa de participar de eventos cujos temas certamente não dominam?

Até quando vamos aturar um Senado da República e uma Câmara dos Deputados promovendo espetáculos dantescos como aqueles de sopapos e xingamentos voando pelos ares?

Até quando vamos aturar um Congresso Nacional lotado de bandidos de carteirinha, que respondem a pencas de processos pelos mais diversos crimes?

Até quando vamos aturar esse maldito foro privilegiado protegendo até patifes que agridem suas próprias mulheres e cometem toda sorte de crimes comuns?

Até quando vamos ficar inertes diante de baderna e vandalismo promovidos por "alguém", sem que ninguém seja preso e responsabilizado?

Até quando vamos aturar essa imundície generalizada sem que nada de fato aconteça? Até quando seremos estes covardes que não fazemos nada realmente acontecer?

O que estamos testemunhando é um clima de fim de feira. Deprimente! E não adianta vir com esse papo de que este não é um tom feminino. Eu sou desbocada mesmo, desde sempre. Pronto, falei!

Goya Bada não é jornalista, é um doce.

terça-feira, 23 de maio de 2017

BORDEL BRASIL

CARTEIRA
A mala devolvida à PF por Rocha Loures tinha apenas R$ 465 mil. Ninguém sabe onde foram parar os R$ 35 mil que deveriam estar nela. Entraram ou foram saídos? Depois, neguinho fica amuado quando dizem que só tem ladrão!


ARROCHO
A JBS e seus controladores poderão perder a vida mansa que estão usufruindo. Depois de sair de fininho do lamaçal, ganharão Receita Federal, Carf e CVM fungando no cangote dos números da empresa. Muito provavelmente vai ter para todo mundo.


BRIGA DE FOICE
No Brasil, bandido grava bandido, bandido delata bandido, bandido prende bandido, bandido julga, condena e solta bandido, bandido toma o poder de bandido. E idiotas ficam inimigos por causa de bandidos.




TAMANHO
Diante dos valores das patifarias atuais, STF decide encaminhar processos de Paulo Maluf para o Juizado de Pequenas Causas.


FRIBOI NO CALDEIRÃO
Joesley e Luciano: mãos ao alto


CHEGOU
O perito Ricardo Molina reclamou da qualidade do gravador usado por Joesley Friboi para gravar as imundícies que conversou no subsolo de Michel Temerário. Estava certo. A PF acaba de receber o gravador, para iniciar a perícia no aparelho. Só está difícil de entender como o Friboi conseguiu colocar essa estrovenga no bolso!


CRIME AMBIENTAL
Era só o que faltava na vida de Lula: o Ibama estuda a possibilidade de processar o granjeiro, em razão da matança de animais no sítio de Atibaia.


APARECEU A MARGARIDA
Rodrigo Rocha Loures, assessor muito especial de Michel Temer, aquele que não sabia o que tinha na mala que recebeu da JBS, entregou a dita cuja com os R$ 500 mil dentro. Enfim, o mala entregou a mala. Pelo visto, essa gente não precisa muito de dinheiro, já que foram tantos dias da grana dormindo. Na mala.


NOVOS TEMPOS
Conexão full time


AGORA DOEU
Na denúncia pelo sítio de Atibaia, o MPF pediu que Lula da Silva devolva R$ 155,2 milhões à Petrobras. Os amigos do Pixuleco estão em pânico, já que ele é useiro e vezeiro em transferir as contas para quem estiver por perto.


SURDEZ
Michel Temer foi taxativo em conversa com um aliado:

"A renúncia seria admitir a culpa. Mais do que isso: seria aceitar o carimbo de que pratiquei corrupção. Isso não vou aceitar. Não vou sair com o carimbo de corrupto."

Tá bom, pode levar apenas a almofada do carimbo.





NAS COXINHAS
O Brasil é mesmo um país surreal. Agora vem a notícia de que a PF não usou chip nas malas que transportavam o dinheiro da JBS, o contato foi somente visual. Tem valor de prova, é verdade. Porém, até nós, que não somos investigadores, sabemos que essas malas podem muito bem ter ficado na moita em algum lugar, para, só depois, serem entregues no destino final. Aí, a geringonça eletrônica faria toda a diferença. Lembrete: estamos falando de uma tramoia que envolve ninguém menos do que o presidente da República.



NÃO FOI O MORDOMO
Agora, a defesa de Michel Temer, o mordomo, arrumou um perito que está culpando o gravador. 





CAMBALEANDO
A PGR voltou à carga e apresentou um novo pedido de prisão contra Aécio Neves e o deputado Rodrigo Rocha Loures - o da mala de Temer. O objetivo é impedir que os acusados sigam empreendendo "estratégias de obstrução de investigações da Operação Lava Jato".


TERROR
Uma explosão na Manchester Arena, no norte da Inglaterra, deixou 22 mortos e 59 feridos. O estádio estava lotado para o show da cantora americana Ariana Grande, que virá ao Brasil em junho. As autoridades estão tratando o episódio como ação terrorista, que aconteceu no final da apresentação, quando o público começava a deixar o local. Segundo a polícia, o atentado foi executado por um homem-bomba.


EMOÇÃO
No meio de tanta coisa ruim, uma cena comovente: o cachorro do cantor Kid Vinil se despede do dono no funeral. É a vida que presta até na hora da morte.


VIZINHANÇA
Dez lojas no centro do Rio foram saqueadas porque não pagaram a "caixinha" dos traficantes. Os vizinhos quase de porta são a Secretaria de Segurança, o Comando Militar do Leste e uma delegacia de polícia. O Rio de Janeiro continua lindo!


CARTÃO VERMELHO
O PSB estuda expulsar Fernando Bezerra Filho, que insiste em permanecer ministro de Minas e Energia do governo Temer. Talvez nem dê tempo, o governo acabe antes.

segunda-feira, 22 de maio de 2017

BORDEL BRASIL


GRANJEIRO
O MPF passou a fatura do sítio de Atibaia para Lula, em mais uma denúncia para o vasto currículo do homem que não tem nada, não sabe de nada e virou nada.


CHUTE
Em tempos mais fartos da imprensa, a Folha de S.Paulo colecionou slogans de impacto:

Não dá para não ler
- Um bom jornal todos os dias
- De rabo preso com o leitor
- O jornal que mais se compra e que nunca se vende 

Pois eis que Aécio Neves, o cachorro morto mais chutado da política nacional, conseguiu ser defenestrado do jornal. Em seu último artigo, lamuriou-se culpando o mundo pela prisão da irmã que ele mesmo empurrou para a cadeia. É o desmonte mais arrasador de um político nas últimas décadas.


MANCHETE DA HORA


"Os corruptos são encontrados
 em várias partes do mundo,
quase todas no Brasil."

(Millôr Fernandes, gênio da raça)


MOITA GERAL 1
O jantar de apoio a Michel Temer, marcado para ontem, foi cancelado. O pessoal anda fazendo regime à noite, em Brasília.


MOITA GERAL 2
O protesto convocado pela esquerda caviar para ontem foi um fiasco. Culparam a chuva e o frio. Esse São Pedro... 


MULTITAREFA
Muita gente anda indócil tentando desqualificar a conversa vadia entre Michel Temer e Joesley Batista, travada tarde da noite num subsolo. A Folha de S. Paulo tratou de contratar um perito que, sabe-se agora, faz degravação de áudios, nunca foi perito do TJ-SP como se apresenta - apenas prestador eventual de serviços - e, nas horas vagas, é corretor de imóveis. No tempo que sobra, se diz especialista em espionagem e participa de programas sensacionalistas de TV. Pelo visto, esse perito foi editado.


FALTOU COMBINAR
O problema é que faltou combinar com Joesley Batista para ele não entregar uma montanha de provas arrasadoras. Assim, a teoria da gravação baleada não deverá ter força para conter a avalanche.






ELEGÂNCIA
Aécio Neves é o maior caso de dupla personalidade de que se tem notícia na política. De falas públicas afáveis e articuladas, vive na estrebaria nos ambientes privados. O ministro Justiça Osmar Serraglio foi homenageado. Fala, mineirim:

O ministro é um bosta de um caralho, que não dá um alô, peba, está passando mal de saúde, pede pra sair.


VOCAÇÃO
A mansão do Lago Sul (Brasília), que abrigou a célebre República de Ribeirão Preto, onde Antonio Palocci recebia lobistas e prostitutas, segue no radar da Polícia Federal. Hoje, serve de escritório para o advogado Willer Thomaz, preso na Operação Patmos.


SOFRÊNCIA
No final de semana Michel Temer abriu o berreiro contra Joesley Batista. Acabou o romance. O homem que trocou os braços de Marcela por uma conversa imunda de subsolo tarde da noite foi taxativo: "Essa gravação clandestina foi manipulada e adulterada com objetivos nitidamente subterrâneos". Deve ser raceado com tatu pra gostar de buraco.






ÊITA!
Esse cidadão corre o risco de ser presidente da República. Serão trinta dias surrealistas.
Orgulho do papai César Maia


ASCO
É humilhante a forma como o executivo da JBS se refere a Robinson e Fábio Faria na sua delação. Segundo explica, foi rastejante a maneira que pai e filho, governador e deputado do Rio Grande do Norte, pediam dinheiro sujo.






MUDANÇA DE HÁBITO
Em tempos melhores da política nacional, moravam num mesmo prédio da avenida Atlântica (Rio) os ilustres mineiros Walter Moreira Salles, Tancredo Neves e Magalhães Pinto. Foi triste ver o apartamento de Tancredo sendo arrombado em busca de provas de patifarias de seus netos Aécio e Andrea, a quem a velha raposa confiou a sucessão de seu brilhante legado. Melhor ter morrido antes de descobrir ladrões tão vulgares na família.



COMPLICADO
A situação de Gilmar Mendes é delicada, depois que caiu numa gravação da Polícia Federal combinando voto para o projeto de abuso de autoridade com Aécio Neves. O da toga não sabia que o playboy das Alterosas estava mais grampeado do que mural de bandeijão de escola.


CHURRASQUINHO